Prata de Lei

Essa nomenclatura surgiu como uma Lei, em Portugal, no século XV, e, visando uma nobreza maior da prata, previa que a mesma deveria ter pelo menos 80% de pureza em sua constituição final.

Embora não seja uma regra no Brasil, até os dias de hoje, as pratas mais utilizadas hoje na fabricação de joias são a 925 e a 950.

Isso porque ambas possuem mais de 80% de prata em sua composição.

Vale lembrar que esses valores são referentes ao percentual de prata presente na liga, onde Prata 1000 seria a prata integralmente pura. Nesse sentido, a Prata 925 tem 92,5% de pureza da prata em sua composição e 7,5% de outros metais. Já a Prata 950 conta com 95% de prata e 5% de outros metais em sua liga.